Dizem que a mulher é o sexo frágil…

…mas que mentira absurda! Assim cantava Erasmo Carlos. Tudo bem, o resto da canção pode ser até bem machista, como era de se esperar natural na década em que esta música foi composta; mas só pelo fato de cantar exaltando a sabedoria e a força feminina; o amigo do Rei já ganhou uns bons pontinhos. E certamente, um cafuné em casa.

Pra nós, pobres e indefesos homens, é e sempre será muito difícil falar desses seres superiores sem parecer machistas ou sem cometer uma ou duas gafes politicamente incorretas. O jeito é desistir. Não tentar entender muito os mistérios dessas almas tão profundamente misteriosas e doces e simplesmente babar, admirar e elogiar o novo corte de cabelo quando ela chegar perguntando se você não notou algo diferente.

A verdade é que, foi-se o tempo em que os homens podiam garantir a soberania do lar arrastando a caça nos braços e se vangloriando por sermos os provedores familiares. Tempos em que confiávamos em nossa força e tínhamos aquelas certezas absolutas que cercavam a nossa macheza de empáfia e soberba! Bem que ainda tentamos, mais tarde, manter o status quo com nossos carrões no trânsito da cidade.

Hoje, as mulheres não só compram seus próprios carrões, como ainda dirigem, ao contrário das piadinhas, com muito mais destreza. Prova disso é: quem não sabe que os carros delas valem mais, justamente por estarem melhor conservados, na maioria dos casos de venda ?

E a nós, restou ficarmos meio apavorados e amedrontados feito meninos, com a força delas. Afinal, já disse outra canção, dessa vez do Leoni: “garotos, como eu, sempre tão espertos, perto de uma mulher, são só garotos”.

Parabéns a estas que nos levam sempre onde querem por mais este Dia Internacional da Mulher!

Anúncios

E Deus criou a poesia e viu que era muito bom!

E Deus criou a beleza, a pureza e o perfume!
E o homem, que não sabia nada de poesia até então, teve medo.
Por isso, sem saber como se comportar, o que falar e onde colocar as mãos,
Pediu desculpas por se coçar o tempo todo, mas de nervoso, fez o que sempre faz
Quando precisa se defender: usou a força!
Obrigou, escravizou, oprimiu e reprimiu a que era melhor, mais cheirosa e bela do que ele e
Assim foi vivendo por muitos anos: fingindo uma força que não tem pra se manter no poder.
Inseguro porque, como o pequeno príncipe do livro, precisaria aprender a lidar com aquela rosa, mas era mais fácil, se impor de qualquer jeito mesmo.
Deus viu e não gostou! Foi quando, do alto de Seu Poder, inspirou sua linda criação e a encorajou pra ser o que foi criada pra ser: forte!
Então, com toda a sua graça e suavidade, ela resolveu mostrar quem mandava! Com uma sabedoria divina, brigando e até fazendo biquinho, sem abrir mão de sua identidade, ela tomou o controle da situação definitivamente!
E o homem? Como sempre bobo, se rendeu sorrindo…

Minha homenagem singela a essas que nos fazem ser o melhor que podemos! Feliz Dia Internacional da Mulher!