O Mito da Fênix

Ouve-se falar sobre o Mito da Fênix, que remonta ao antigo Egito e foi posteriormente transmitido aos gregos e outras civilizações, chegando até hoje. Você, querido leitor, já deve ter ouvido falar da ave que ao sentir a proximidade da morte, ao cabo de cada ciclo existencial, preparava uma fogueira funerária com ramos de canela, mirra, se auto incendiava e era devorada pelas chamas, ressurgindo delas como uma nova Fênix, a qual juntava as cinzas de seu progenitor e as conduzia ao altar do deus solar, Deus Sol , Rá no Egito. Esse altar era localizado em Heliópolis, cidade do sol, egípcia.

Para diferentes povos, essa ave tem características distintas, aparência própria, mas em quase todas ela simboliza a mesma coisa: a imortalidade ou pelo menos, a capacidade de se reinventar, de ressurgir e recomeçar.

Se reinventar das chamas que ardem, das dores de morte, daquilo que vai tentando nos destruir, mesmo que o inimigo seja interno, mesmo que você mesmo seja aquele que se incendeia por suas escolhas, paixões, desejos e decisões. Fato é: a vida pode se reinventar e à luz do mito da Fênix, temos um novo dia, um sol que, como a Fênix, queima a si mesmo e morre todos os dias, renascerá amanhã para uma nova oportunidade

.mito-fenix

Anúncios

De volta ao começo.

Recomeçar é um ato de coragem. Em qualquer circunstância: seja recomeçar a vida profissional depois de muitos anos parado; seja recomeçar um relacionamento rompido; recomeçar um projeto pessoal, a realização de um sonho…

Muitas vezes, pra recomeçar é preciso apagar ou esquecer coisas do passado. Algumas pessoas guardam mágoas, ressentimentos, tristezas e traições do passado. Zerar o cronômetro e deixar no passado o que ficou pra lá. Superação é a palavra chave pra qualquer recomeço.

Outra atitude importante no ato de recomeçar é o que poderíamos chamar de “auto-esvaziamento”. Ou seja, se esvaziar de si mesmo, de preconceitos, de ambições pessoais ou posturas endurecidas pelas circunstâncias.

Assumir um recomeço, seja ele do que for, é abrir mão desses conceitos por uma esperança! Esperança de que pode dar certo! Esperança de que mudanças são boas, no fim das contas e de que, tudo vai acabar dando certo! Esperança de que, dessa vez vai dar certo! Esperança é o motor de quem recomeça!

Nesta semana, recomeçamos a servir nosso café! Que as nossas inspirações e delírios possam alimentar cada leitor e amigo do blog em suas esperanças nesse recomeço! Um ano de 2014 de esperança, fé e muito café pra todos nós!!

Setembro

O lindo mês em que o inverno dá lugar à primavera; mês botânico em que somos recomendados pelo poeta Drumond, a no mínimo, plantar num pote de plástico, com eufórica emoção ecológica, uma flor de retórica. As cores voltam com toda a força. Pessoalmente, tenho motivos pra gostar mais desse mês do que dos outros. Vejo na renovação da natureza nesse ciclo de flores surgindo uma nova oportunidade, um recomeço.

Me recrio. Recomeço, me dou outra chance! Inúmeras e diferentes cores enchem os campos de poesia e beleza, em setembro. Tantas cores e só por um motivo: flores, as mais diversas, as mais diferentes flores nascem, crescem e aprendem a viver juntas! Só por isso, temos tantas cores lindas espalhadas pelos campos! Reaprendemos, com a primavera, a olhar, respeitar e crescer juntos com as nossas diferenças.

Diz o poeta bíblico no livro de Cantares: O inverno já passou; a primavera chegou! Que esperança! Que poesia linda de vida! Que forma de ver uma nova possibilidade! Por mais duro que o inverno da vida tenha se apresentado, seco, árido, triste; na primavera, tudo recomeça!

Em setembro me recomeço! Em setembro tenho minha primavera pessoal! Em setembro não se fica velho; em setembro, se renova, em setembro, nos abrimos ao novo, ao renovo, de novo!  A vida jorra em setembro! A vida sobra em setembro, transborda! A vida tenta se superar!